AUMENTO DE POTÊNCIA

AUMENTO DE POTÊNCIA

Reprogramamos todos os tipos de sistemas de injeção controlados eletronicamente.

Para se entender de uma forma global o conceito de reprogramação, elaborámos alguns tópicos que ajudarão os mais leigos na matéria a perceber os fundamentos do processo e também os mais entendidos a aprofundar os seus conhecimentos. 

REPROGRAMAÇÕES.PT - AUMENTO DE POTÊNCIA

 

1.1 Qual o objetivo da Reprogramação?

A reprogramação trata-se da otimização dos vários mapas de injeção programados na Eprom da ECU, com o objetivo de melhorar o binário e a potência não só em altos regimes, mas também em baixos e médios regimes, proporcionando uma resposta mais “agressiva” aos movimentos do acelerador, o que se traduz  num motor mais dinâmico, uniforme e flexível com consumos menos elevados.

 

1.2 O que é a ECU (Engine Control Unit) ou “Centralina”?

 Hoje em dia, todos os motores a injeção, quer sejam atmosféricos (admissão de ar à pressão atmosférica) ou turbo-alimentados, têm um pequeno computador chamado ECU (Engine Control Unit) vulgarmente conhecido por “centralina”. Estas unidades são potentes microcomputadores de 16 ou 32 bits que processam entre 5 a 10 milhões de operações por segundo, para controlar os parâmetros de funcionamento do motor.

A gestão eletrónica do motor faz a leitura dos seus sensores, tais como, o sensor de massa de ar, a rotação do motor, a posição do pedal do acelerador, a pressão do turbo, entre outros. Esta informação é comparada com os parâmetros pré-programados (mapas) e é processada em tempo real de forma a ativar os diversos atuadores, tais como injetores, ignição e turbo, conseguindo assim resolver as condições mais adversas, garantindo uma correta mistura ar e combustível para os vários regimes do motor.

 

1.3 O que é uma Eprom ou “chip”?

A Eprom ou “chip”, é uma memória de dados localizada no interior da ECU, que contém uma matriz de valores (parâmetros programados pelo construtor) que definem os vários mapas de injeção.

Ou seja, os valores analisados por cada sensor do motor são enviados para a ECU onde são processados e comparados com a informação contida nos vários mapas programados na Eprom, estes por sua vez definem o instante de ignição, avanço, quantidade de combustível, pressão de turbo, entre outros, para os vários regimes do motor.

 

1.4 Existem outros métodos para obter resultados semelhantes?

Sim, a ‘Box’.

Enquanto a reprogramação é feita a partir da otimização dos mapas de injeção originais implementados pelo construtor do motor/veículo. A Box é um dispositivo eletrónico de fácil instalação cujo principal objetivo é iludir a ECU. Deste modo, consegue-se que a ECU ordene a injeção de uma maior quantidade de combustível, sem alterar outros fatores importantes, como por exemplo, a pressão de turbo e o avanço da injeção, o que acaba por ser demasiadamente simples, revelando-se uma solução pouco otimizada, incompleta, brusca e de pouca qualidade.

 

1.5 Porque razão os automóveis não são reprogramados de origem?

Os veículos são vendidos para um mercado global e os fabricantes ao programarem os diferentes mapas de injeção têm em conta vários aspetos, tais como as diferentes condições climatéricas, qualidades de combustível, os diferentes tipos de condução, também tem de respeitar as normas de emissão de poluentes e fatores financeiros como as categorias de seguro (que, contrariamente a Portugal, na maioria dos países é escalonado por classes de potência).

Nestas condições, os motores têm que se comportar dentro de parâmetros predefinidos, assim sendo os fabricantes não otimizam nem os valores da potência nem os do binário ao máximo, embora esse potencial esteja presente e previsto quando foi projetado o motor, isto é, os motores atuais estão preparados para suportar esforços maiores do que os que realmente têm numa utilização normal.

A reprogramação optimiza o binário e a potência previstos anteriormente garantindo sempre que não se atingem as limitações mecânicas impostas ao motor pelo fabricante.

 

1.6 É detetável nos centros de inspeção técnica de veículos, na revisão/reparação ou através de auto-diagnóstico?

Uma boa reprogramação tem como objetivo otimizar o motor e preservar na ECU todos os dados característicos atribuídos ao automóvel, tal como o número de identificação do veículo, o número do motor, as propriedades mecânicas, as diferentes versões de caixas de velocidade, os subgrupos, os critérios de diagnóstico, os programas de funcionamento excecional no caso de avaria, o sistema de memória das avarias, os códigos de equipamento, entre outros…

Assim, o seu veículo comporta-se como um veículo de série nos centros de inspeção técnica de veículos e durante os trabalhos de revisão/reparação e de auto-diagnóstico numa oficina profissional.

 

1.7 Posso personalizar a minha reprogramação?  

Sim, um dos requisitos fundamentais para se produzir uma boa reprogramação de forma otimizada é a personalização do processo.

A reprogramação deve ser encarada como um desenvolvimento individual para cada veículo e para cada condutor.

Na Reprogramações.com elaboramos o perfil de cada cliente, definimos e cumprimos objetivos para cada caso, sem deixar de preservar todas as características do bom funcionamento do motor.

Contacte-nos


© Reprogramações.com - Todos os direitos reservados